Hipismo é um esporte praticado com cavalos e que exige bastante habilidade. É o único em que homens, conhecidos como cavaleiros, e mulheres, chamadas de amazonas, competem juntos.

Desde 1912, o hipismo faz parte dos Jogos Olímpicos. Existem diversas modalidades no hipismo, embora nem todas sejam olímpicas.

As modalidades não olímpicas são: atrelagem, enduro, rédeas, volteio e tambor.

As modalidades de hipismo olímpicas são:

  • adestramento
  • Concurso Completo de Equitação (CCE), realizado tanto individualmente quanto em equipe
  • salto, sendo este último o mais conhecido

Adestramento

A prova de adestramento consiste na execução, pelo conjunto (cavaleiro, ou amazona, e cavalo) de uma série de movimentos precisos, obrigatórios e livres.

Os movimentos são executados em uma área que mede 60 por 20 metros e devem ser feitos em um tempo determinado.

Dentre os requisitos, 5 juízes avaliam a perfeição e elegância dos movimentos executados.

Concurso Completo de Equitação (CCE)

O Concurso Completo de Equitação (CCE) consiste em três provas:

adestramento, em que são executados movimentos precisos pelo cavaleiro, ou amazona, em sintonia com o cavalo.

cross-country, em que obstáculos naturais devem ser ultrapassados em velocidade elevada.

saltos, em que é preciso ultrapassar obstáculos, não naturais, ao longo de um percurso.

Salto

Na prova de salto, o cavalo montado pelo atleta deve saltar entre 8 a 12 obstáculos ao longo de um percurso com a dimensão de 700 a 900 metros.

Além de ter cuidado para não derrubar os obstáculos, o atleta deve percorrer o percurso sem erros e dentro do tempo limite da prova, visando concluir a prova no menor tempo possível.

cavaleiro montado em cavalo em prova de salto_hipismo
Cavalo montado por atleta em prova de salto no hipismo

Modalidades de hipismo não olímpicas

Atrelagem: provas de maratona e corrida de obstáculos realizadas em uma charrete puxada por até 4 cavalos.

Enduro: prova de distância longa (mais de 100 quilômetros), realizada em etapas.

Rédeas: prova em que são realizadas várias manobras, como círculo, troca de mão, esbarro, recuos.

Volteio: prova de movimentos de ginástica artística realizados sobre o cavalo em movimento.

Tambor (ou prova dos 3 tambores): provas de velocidade, em que é feito o contorno de 3 tambores dispostos em forma triangular.

História do hipismo

A origem do hipismo é inglesa. O surgimento do esporte foi inspirado no costume inglês de caçar raposas. Os obstáculos das provas são usados como uma reprodução dos obstáculos encontrados na natureza, como troncos caídos e riachos.

O hipismo esteve presente nos primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna, como esporte de demonstração, realizados em Atenas em 1896.

As modalidades adestramento, CCE e salto tornaram-se modalidades olímpicas em 1912, mantendo-se assim atualmente.

Durante 40 anos, entre 1912 e 1952, os militares ganhavam sempre as competições olímpicas. Contudo, em 1952, os militares perderam o lugar de campeões para o cavaleiro francês Pierre Jonquères d’Oriola, que se tornou o maior campeão de saltos de todos os tempos.

História do hipismo no Brasil

No Brasil, a primeira competição hípica registrada ocorreu em 1641.

Durante o século XVIII, as corridas rasas eram comuns na praia de Botafogo. Elas chamavam a atenção da nobreza, como era o caso de D. Pedro I e D. Maria Leopoldina, sua esposa, que gostavam de assisti-las.

Em 1847, foi fundado o Clube de Corridas, tendo como primeiro presidente Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias.

Em 1863 foi fundada a primeira escola de equitação, no Rio de Janeiro.

Em 1941, foi fundada a Confederação Brasileira de Hipismo (CHB), depois de terem sido criadas as seguintes federações: Federação Paulista de Hipismo (FPH), Hípica Metropolitana (Rio) e Hípica Fluminense (Niterói).

A CHB é o órgão responsável pela regulamentação e promoção do hipismo no Brasil. Mundialmente, o órgão responsável é a Federação Equestre Internacional (FEI), que foi fundada na Suíça em 1921.

Em 1942, o Brasil participou, pela primeira vez, de uma competição internacional, no Chile.

Em 1967, o Brasil conquistou sua primeira medalha de ouro, por equipe, nos Jogos Pan-americanos, no Canadá. A equipe era formada por Nelson Pessoa Filho, montando GranGeste; Antonio Alegria Simões, montando Samurai; José Roberto Reynoso Fernandez, montando Cantal; e Renyldo Ferreira, montando Shanon Shamrock.

Em 1991, 1995, 1999, 2007 e em 2019, o Brasil conquistou novamente a medalha de ouro por equipe. A primeira medalha de ouro individual nos Pan-americanos foi conquistada em 2019 por Marlon, montando Sirene de La Motte.

Em 1996, nos Jogos Olímpicos de Atlanta, o Brasil conquistou a sua primeira medalha olímpica por equipe, o bronze. Nos Jogos Olímpicos seguintes, realizados em Sydney, em 2000, os brasileiros também conquistaram o bronze.

Em 2004, o Brasil conquistou a medalha de ouro na disputa individual com Rodrigo Pessoa, montando Baloubet du Rouet. Inicialmente, Rodrigo Pessoa havia conquistado a medalha de prata, porém, após a desclassificação do cavaleiro que originalmente havia conquistado a medalha de ouro, Rodrigo Pessoa tornou-se o primeiro brasileiro a conquistar uma medalha de ouro olímpica no hipismo.

Leia também:

Esportes de marca: o que são e exemplos

Tipos de esporte: invasão, marca, precisão, combate, rede e parede

Referências Bibliográficas

Hipismo: Saltos. Documento acessado em março de 2024, disponível em:

Hipismo no Brasil e a CBH. Documento acessado em março de 2024, disponível em:

Com informações do Toda Matéria